Coluna do Frank | A guerra, o roubo e os macacos

Nos próximos sete dias o circuito de cinema blockbuster brasileiro vai ser assolado por trio que vem sendo apontado como dos melhores filmes de 2017.

, por Francisco Carbone

Coluna do Frank | A guerra, o roubo e os macacos

Nos próximos sete dias o circuito de cinema blockbuster brasileiro vai ser assolado por trio que vem sendo apontado como dos melhores filmes de 2017.

, por Francisco Carbone

Olá pessoal!

Em curto intervalo dos próximos sete dias o circuito de cinema blockbuster brasileiro vai ser assolado não por um ou dois, mas simplesmente um trio que vem sendo apontado como dos melhores filmes de 2017, dentro e fora de suas searas. Todos os três com boas chances de aparecer nas próximas listas de melhores do ano e até nas premiações vindouras, já que a crítica abraçou os três de maneira irrestrita.

O primeiro deles é o filme de guerra do ano, pra muita gente da década: ‘Dunkirk‘, de Christopher Nolan. Uma enorme possibilidade no Oscar desde já, o filme acabou de estrear em todo mundo também e no primeiro fim de semana fez mais de 100 milhões de dólares, só nos EUA até agora já fez mais de 60. Independente da grana arrecadada, o filme está sendo aclamado pela crítica merecidamente e mostra um espetáculo triste, forte e impactante. Mostra a tentativa de várias frentes de batalha de aliados da Segunda Guerra Mundial tentando escapar de ataques na cidade de Dunkerque, com foco principal em britânicos. Com ataques na terra, no céu e no mar, o filme embaralha o espaço de uma semana de um resgate de soldados que podem acabar em tragédia ou ser uma grande vitória.

Assista ao trailer abaixo:

Baseado em eventos reais da época, tudo que acontece em ‘Dunkirk‘ é de conhecimento dos livros de História, mas o filme centra foco no elemento humano desconhecido, graças a um rico elenco que inclui Mark Rylance, Tom Hardy, Kenneth Branagh, Cillian Murphy e a estreia de Harry Styles nas telas. Um trabalho impressionante, imperdível e cheio de camadas mostrando os lados do heroísmo que reside em detalhes mínimos e num trabalho excepcional de roteiro e montagem.

 

O segundo deles vem a ser ‘Em Ritmo de Fuga‘, novo filme e maior sucesso da carreira de Edgar Wright, cineasta britânico (que acaba de ser confirmado como membro do júri de Veneza) que realizou inúmeros filmes excelentes como ‘Todo Mundo Quase Morto’ e ‘Chumbo Grosso’, mas que infelizmente ainda não conhecia o sucesso de massa. Até agora com 120 milhões em caixa no mundo (indo pra 90 só nos EUA, uma bilheteria que ainda vai subir muito porque o filme acabou de estrear), Wright conquistou críticas quase unânimes e o carinho de todos além dos rios de dinheiro. No filme vemos Baby, um ás no volante que usa e abusa de seu talento em roubos a banco espetaculares, armados por um homem que o chantageia. Ao conhecer uma doçura de garçonete, Baby começa ele mesmo traçar um plano de fuga, mas será nada fácil escapar da fúria de bandidos e policiais.

Assista ao trailer abaixo:

De montagem eletrizante e trilha sonora primordial a trama, ‘Em Ritmo de Fuga‘ é mais um escandaloso show de direção de Wright, que enfim consegue reconhecimento merecido do público. No elenco, impagáveis performances de Ansel Elgort, Kevin Spacey, Jon Hamm e Jamie Foxx.

 

Em terceiro e pra fechar semana que vem estreia (mas esse fim de semana já teremos pré estreias) ‘Planeta dos Macacos: A Guerra‘, o encerramento da nova trilogia símia, de novo pelas mãos de Matt Reeves. Mais uma vez veremos a ascensão de César rumo a dominação dos primatas sobre a humanidade, que de oprimidos passaram a raça dominante nos longas anteriores, e dessa vez o líder terá de enfrentar um poderoso militar vivido por Woody Harrelson, e mais uma vez seremos levados a observar como nossa visão de dominação tende a se relativizar diante da força dos acontecimentos. Com mais um trabalho sensacional de Andy Serkis por trás de corpo (em ‘captured moviement’) e alma da riquíssima personalidade de César, um líder que deixará saudades.

Assista ao trailer abaixo:

O filme também já impressiona entre a crítica e o público, e em apenas 10 dias já se encaminha na direção dos 200 milhões em todo o mundo, 100 só nos EUA, encerrando de maneira triunfal uma trilogia incrível e que deixará saudade.

Fico por aqui e semana que vem trarei pra vocês um grupo de estreias nacionais para deixar claro nossa diversidade temática e nossa qualidade que não cansa de dar orgulho.

Até lá!  🙂