Coluna do Frank | Maternidade na berlinda

Essa semana temos 4 estreias que prometem sacudir o circuito, dos 3 maiores festivais do mundo.

, por Francisco Carbone

Coluna do Frank | Maternidade na berlinda

Essa semana temos 4 estreias que prometem sacudir o circuito, dos 3 maiores festivais do mundo.

, por Francisco Carbone

Olá pessoal!!!

Essa semana temos 4 estreias que prometem sacudir o circuito, dos 3 maiores festivais do mundo. Falarei sobre todas elas com detalhes no decorrer da coluna, mas antes, vamos assistir a coluna também no YouTube?

Fácil, só apertar o play aqui embaixo.

 

Do recém encerrado Veneza, chega ‘mãe!‘, o novo petardo de Darren Aronofsky. Autor dos célebres e premiados ‘Cisne Negro’, ‘Requiem para um Sonho’ e ‘O Lutador’ (vencedor do mesmo Veneza de 9 anos atrás), esse filme veio cercado de mistério e cuidado nas informações de sua trama. Provavelmente Aronofsky queria fazer o público emergir na história que conta, sobre um casal que vive numa casa solitária até o dia que recebe estranhas visitas. Não vale a pena contar nada além, mas o filme vem causando polêmica por onde passa: foi aplaudido e vaiado no festival italiano, foi ignorado pelo público americano, conseguiu fãs na imprensa do mundo e muitos detratores em igual tamanho. Ele continua fiel aos seus temas de obsessão e entrega, e tem um quarteto de sonho protagonizando: Jennifer Lawrence, Javier Bardem, Michelle Pfeiffer e Ed Harris. Uma coisa é certa, ‘mãe!’ não irá provocar indiferença em ninguém com seus símbolos e sua refinada pretensão.

O próximo lançamento vem de Cannes e chama ‘Rodin‘. Sim, pode unir o nome a pessoa – estamos falando sim do escultor brilhante que teve um romance destruidor com Camille Claudel, vivida por Isabelle Adjani no clássico de 89. Agora Vincent Lindon toma o lugar de Gérard Depardieu nessa produção francesa dirigida por Jacques Doillon que conta a história sob o ponto de vista do escultor, homem que teve uma vida repleta de polêmicas, romances e truculência. Não mais do grande Lindon, ‘Rodin’ é um programaço pra quem curte história, arte, biografia e grandes atuações.

De Berlim vem o primeiro nacional da semana, ‘Pendular‘, o novo filme de Julia Murat. Vencedor do FIPRESCI na Alemanha e nesse momento disputando troféus Candango em Brasília, o filme também tem uma visão sobre a arte, nesse caso moderna e muito atual, num longa pungente. Após o fabuloso ‘Histórias que Só Existem quando Lembradas’, Murat vem dissecar a relação de um casal de artistas, ela uma bailarina moderna e ele um artista plástico, que se amam, vivem juntos e dividem seu amor pela arte numa história de simbiose, paixão e delicadeza. Num ano tão especial pro nosso cinema como 2017, é sempre reconfortante ver que grandes filmes não param de estrear, como ‘Pendular’.

E mais um ótimo filme nacional, agora com apelo universal, é a comédia ‘Divórcio‘, dirigida por Pedro Amorim. Protagonizado por Murilo Benicio e Camila Morgado, o filme novo do diretor de ‘Mato sem Cachorro’ é hilario e muito bem dirigido e atuado, além de tecnicamente caprichado. O filme mostra o desgaste do casamento de Julio e Noeli, que criaram uma fortuna em extrato de tomates do zero e 20 anos após seu início, explode de burocracia e desânimo. Quando uma série de desencontros dão no pedido de separação de Noeli, esse outrora casal vai entrar em pé de guerra, em meio a um excelente elenco de coadjuvantes que vão de Thelmo Fernandes e Luciana Paes a André Moraes e Gustavo Vaz. Um filme que não quer mudar a vida de ninguém, mas que entrega 1 h e meia de muita diversão bem feita.

 

Antes de encerrar a coluna dessa semana, não poderia deixar passar em branco o desejo de boa sorte ao diretor Daniel Rezende e equipe, que acabam de terem seu ‘Bingo: O Rei das Manhãs‘ escolhido para representar o Brasil na disputa pelo Oscar de filme estrangeiro do ano que vem.

Apesar de estar no grupo de favoritos, o filme que romanceia a vida de um dos homens por trás da maquiagem do Bozo nos anos 80 foi encarado como uma escolha surpreendente, principalmente aos que esperavam por ‘O Filme da Minha Vida’ de Selton Mello ou ‘Como Nossos Pais’ de Laís Bodansky para vencer essa disputa. ‘Bingo’ tem até agora 55 rivais, e devem entrar pelo menos mais uns 25 na corrida por apenas 5 vagas, a ser definida em 24 de janeiro. A briga vai ser bem difícil, tem pelo menos uns 8 filmes pesados, importantes e favoritos a reta final. Nos resta agora torcer por esse belo filme que até agora já fez 250 mil espectadores e deve aumentar sua carreira.

Ficamos por aqui e semana que vem se prepare para saber tudo sobre os vencedores de Brasília e os destaques do Festival do Rio que já irá começar.

Até a próxima!