Coluna do Frank | O Oscar na reta final

Faltam apenas 10 dias para a cerimônia de premiação da Academia e esse é o último fim de semana a estrear indicados as estatuetas!

, por Thiago Arzakom

Coluna do Frank | O Oscar na reta final

Faltam apenas 10 dias para a cerimônia de premiação da Academia e esse é o último fim de semana a estrear indicados as estatuetas!

, por Thiago Arzakom

Olá pessoal!

Faltam apenas 10 dias para a cerimônia de premiação da Academia e esse é o último fim de semana a estrear indicados as estatuetas, quando chegam os 3 últimos candidatos que darão as caras nas salas brasileiras, incluindo o último dos 9 indicados a melhor filme. Esse ano ocorreu algo curioso que raramente acontece com o nosso circuito, que atualmente se encontra em profunda crise que será abordada num próximo texto aqui no espaço. Há exatos 17 anos que algo raríssimo não acontecia, que é a estreia em circuito dos 5 indicados ao Oscar estrangeiro – naquele ano os indicados foram ‘O Tigre e o Dragão’, ‘Amores Brutos’, ‘O Gosto dos Outros’, ‘Fama para Todos!’ e ‘Herói Acidental (vencido pelo primeiro) e esse ano ‘Uma Mulher Fantástica‘, ‘Corpo e Alma‘, ‘The Square‘, ‘Sem Amor‘ e ‘O Insulto‘. Esse ano também praticamente todos os filmes indicados em todas as outras categorias (tirando os documentários) estrearam nas nossas salas, a exceção será espantosa, o drama de suspense ‘Roman J. Israel’, que indicou Denzel Washington como melhor ator e não conseguiu uma vaga nas nossas salas; falarei mais sobre isso nesse próximo texto já citado acima, onde vou tentar jogar uma luz num problema atual no circuito nacional.

Já entre as estreias a mais importante da semana é ‘Trama Fantasma‘, novo filme do genial Paul Thomas Anderson e que chegou de surpresa nas categorias principais; surpresa nada injusta. Talvez o melhor diretor americano hoje, PTA (como é chamado) faz um cinema narrativo herdeiro assumido de Robert Altman, é um mago das imagens e sons, está estreando na cadeira de fotógrafo em seu próprio filme e retoma uma parceria com o mais bem sucedido ator da nossa geração, Daniel Day-Lewis, que consegue sua sexta indicação e anuncia uma aposentadoria do qual ninguém acredita. Passeando sempre por conceitos narrativos distintos, dessa vez PTA nos carrega para dentro da vida do estilista Ronald Woodcock, uma figura fictícia de sucesso na Inglaterra dos anos 50 e 60, exatamente no momento que ele conhece uma assistente que se transformará em modelo e logo a seguir em amante, uma história de amor polêmica e ardente observada pela irmã do estilista vivida por Lesley Manville, também indicada. O filme teve 6 indicações (filme, direção, trilha e figurinos são as outras) e é uma aula de cinematografia a ser estudada por qualquer cinéfilo atento.

A segunda estreia da semana é o grande injustiçado do ano da Academia, ‘Projeto Florida‘. Um dos grandes filmes de qualquer ano que fosse lançado, o longa de Sean Baker viu suas possibilidades mirrarem em todas as premiações, que somente o indicaram a melhor ator coadjuvante, numa interpretação de Willem Dafoe que deveria ter feito um arrastão de prêmios mas que nem entre a crítica isso aconteceu, sendo sempre emparelhado com Sam Rockwell em ‘Três Anúncios para um Crime’. O que vemos aqui é uma obra adulta e moderna, apta a dialogar com qualquer pessoa de qualquer idade e repleta do que melhor imageticamente foi construído em 2017. O filme mostra as peripécias de um grupo de crianças ao redor do hotel onde moram, de nome Castelo Mágico. Livres demais e arteiras demais, as crianças são capitaneadas por Moonee, 6 anos de idade e aparentemente 50 de talento, um mini assombro chamado Brooklynn Prince na vida real. A relação de Moonee com sua mãe completamente perdida e com o gerente do hotel onde moram, uma pocilga nos arredores de Orlando, vai desenhando os bastidores da crise econômica atual e acaba sendo uma aula de humanidade e solidariedade com os desvalidos de uma sociedade entregue. Sean Baker se recupera de qualquer deslize num filme impressionante e muito emocionante.

A terceira estreia chama ‘A Grande Jogada‘ e conseguiu uma indicação a melhor roteiro adaptado depois de aparecer surpreendentemente em todos os sindicatos americanos. Estreia na direção do roteirista vencedor prévio do Oscar Aaron Sorkin, o filme é a reprodução dos fatos vividos por Molly Bloom, mulher que galgou poder e prestígio dentro do mundo da jogatina até chegar ao topo do mundo, botando mesa para os poderosos de Hollywood (que nos bastidores sabemos terem sido do nível de Leonardo DiCaprio e Tobey Maguire). Ao começar a chamar a atenção de todos, Molly vê seu império ruir com a mesma rapidez com que foi construído. No papel principal, a grande Jessica Chastain volta a exibir seu arsenal de talento ao lado dos não menos excelentes Idris Elba e Kevin Costner. Um filme ágil e de montagem frenética, vai agradar quem curte um bom jogo e um cinema de tensão e emoção a cada lance.

Por essa semana é só e na semana que vem além das estreias vocês também ficam sabendo das últimas tacadas a respeito do Oscar. Um abraço e até lá.