Leitores Em Série | Não se vá…

O mundo das séries é recheado de mortes chocantes… o problema é quando isso acontece sem que você esteja esperando.

, por Laura Vidaurreta

Leitores Em Série | Não se vá…

O mundo das séries é recheado de mortes chocantes… o problema é quando isso acontece sem que você esteja esperando.

, por Laura Vidaurreta

Como todos já sabem, o Fall Season já está virando a esquina, trazendo consigo as estreias tão aguardadas e as novas temporadas das nossas séries favoritas. Na semana retrasada nós falamos sobre os atores que não voltarão para suas séries, seja por vontade própria ou por algum impasse por parte da produção do programa. Hoje nós também vamos falar de partidas, mas de outro jeito.

Geralmente os roteiristas deixam os momentos impactantes para a season finale, assim o espectador pode aproveitar o hiato da série para assimilar o que aconteceu, viver o luto e ter tempo para imaginar como a série vai continuar depois da partida de um personagem querido. Como aconteceu na season finale de Supernatural, em que tivemos a morte de dois personagens amados do público, Castiel e Crowley. Quase que imediatamente (para nossa sorte e alívio) o ator Jared Padalecki acabou revelando que Castiel voltaria para a 13ª temporada da série, no entanto, como eu contei na penúltima coluna, o ator Mark Sheppard se despediu de vez da produção. Vai ser duro não ter Crowley no próximo ano, mas pelo menos nós tivemos um tempinho para nos acostumarmos com a ideia.

O problema é quando acontece uma morte chocante, no meio da temporada, quando ninguém estava esperando. O que era pra ser um episódio normal, acaba se tornando uma experiência traumatizante para o espectador, que além de ser surpreendido pela morte de um personagem querido, não tem nem tempo de digerir a informação, antes de ser levados pelos desdobramentos do ocorrido.

Hoje nós vamos relembrar algumas mortes chocantes, que nos pegaram de surpresa e ainda nos faz perguntar: Por quê?

Não preciso nem dizer que essa coluna será recheada de Spoilers.

Michael Cordero (Jane The Virgin)

Eu ainda fico inconformada como tão pouca gente assiste Jane The Virgin. A série é, sem dúvida, uma das melhores coisas na televisão atualmente. Uma mistura de comédia romântica, com altas doses de novela mexicana, mas com a leveza de uma produção despretensiosa. Então eu recomendo: assistam Jane The Virgin! Bem, voltando ao assunto. Quando conhecemos Michael, ele está noivo de Jane. Seu amor pela jovem é tão grande, que ele abre mão de sua felicidade, para que sua amada tenha a chance de formar uma família com outro homem. Mas como o amor sempre vence, Jane e Michael se reconectaram, se casaram e estavam prontos para serem felizes para sempre. O primeiro alerta veio na season finale da segunda temporada, quando Michael foi baleado. Mas, com a graça de Nossa Senhora de Guadalupe, o marido de Jane sobreviveu e nós relaxamos, achando que o pior já tinha passada… até o meio da temporada, quando o rapaz simplesmente caiu no chão durante uma prova e morreu, provando o que o narrador da série havia dito no começo do episódio. “Michael amaria Jane até seu último suspiro.”

Wes Gibbins  (How To Get Away With Murder)

Sim, Wes era chato! Sim, eu já estava esperando ele morrer em algum momento! Sim, eu fiquei chocada com a morte dele!

Quando eu digo que estava esperando o personagem morrer é porque já não existia mais nada para ser explorado. Todas as camadas já haviam sido desmembradas, e HTGAWM é uma série sobre desvendar o que há de mais profundo nos personagens. Para o bem e para o mal. Então, pra mim, ou Wes ficaria preso nessa espécie de Complexo de Édipo fajuto com Annalise, ou morreria, fazendo com que sua morte acarretasse uma série de implicações para a advogada. Que foi o que aconteceu. Mas isso não tornou a morte do rapaz menos impactante.

Laurel Lance  (Arrow)

Respirando fundo. Contando até 10. Fazendo meditação.

Preciso de todos os rituais necessários para acalmar um ser humano antes de comentar sobre a morte da Canário Negro de Arrow. Desde o início, quando Sara, e não Laurel, foi apresentada como a Canário Negro, o público estranhou. Mas tudo bem, tudo fazia parte de uma construção de personagem, um plano muito bem arquitetado pelo produtor executivo da série, Marc Guggenheim, para amadurecer e fortalecer uma Laurel Lance chata, mimada e chorona. Assim que Laurel assumiu o lugar da irmã como Canário Negro, nós vimos um crescimento notável da personagem, que deixou de ser a mocinha indefesa da série e começou a caminhar, a passos pequenos, em direção à personagem dos quadrinhos.

No entanto, provando mais uma vez que os roteiristas de Arrow buscam inspiração em redes sociais, como Tumblr e Twitter, Laurel foi morta na metade da 4ª temporada. E por quê, eu te pergunto. Para nada além de facilitar o romance entre Oliver e Felicity. Não tem outra razão. Prova disso é o retorno de Katie Cassidy no papel da Black Siren, a versão maligna de Laurel Lance, da Terra 2.

Jodi  (Mom)

Desde o início Mom fez questão de mostrar que não era uma comédia como as outras. Ao contrário de suas séries irmãs, como The Big Bang Theory e Two And A Half Men (Chuck Lorre é o showrunner de todas elas), Mom nunca teve medo de colocar o dedo na ferida e abordar assuntos polêmicos como abuso de drogas, alcoolismo, vício em jogo e estupro, mas sempre usando o humor para dar leveza em temas tão pesados.

E é claro que em uma série onde as implicações que o consumo de drogas traz para nossas vidas é a base para toda a trama, mais cedo o mais tarde, a overdose entraria em pauta. E mesmo esperando que isso fosse acontecer, o público foi pego de surpresa quando, no meio do casamento de Marjorie, Christy recebe um telefonema informando que Jodi, sua afilhada no N.A., havia sido encontrada morta, vítima de uma overdose, justamente quando a jovem parecia estar colocando a vida nos eixos novamente. E assim como Christy e suas amigas, o público também perdereu o chão.

Hodor  (Game Of Thrones)

O que falar sobre uma série que não cria laços eternos com nenhum personagem? Que decapitou o preferido do público sem dó nem piedade? Que praticamente dizimou uma família e deixo uma legião de fãs profundamente traumatizados com casamentos? Sim, Game Of Thrones trabalha com desapego e faz questão de mostrar que ninguém é insubstituível. Mas sem querer desmerecer todas as mortes que já aconteceram em Game Of Thrones, eu posso afirmar que nenhuma me deixou mais abalada do que a perda do Hodor.

Logo de cara a gente começa e reconhecer um padrão. Os episódios Nº 9 são aqueles que abalam as estruturas dos fãs, onde todas as mortes mais chocantes e violentas acontecem (ainda não me recuperei do Casamento Vermelho). Então a gente meio que se prepara ao longo da temporada para encarar o penúltimo episódio. O problema é quando GoT resolve dar um soco na cara do telespectador, e pegá-lo em seu momento mais vulnerável, quando todas as suas defesas estavam baixas. Foi o que aconteceu no episódio The Door.

Eu aposto que ninguém estava esperando aquele desfecho. Não que a gente achasse que Hodor viveria para sempre e acabaria no Trono de Ferro, mas sem dúvida nós imaginávamos, e torcíamos, para que o fiel escudeiro de Bran Stark tivesse um final melhor. E tudo acabou se tornando ainda pior quando descobrimos que Bran foi o responsável, mesmo que sem querer, pelo destino de Hodor, no passado e no presente.

Um episódio em que não se esperava nada, acabou se tornando um dos mais tristes e chocantes de toda a série.

E pra vocês, qual foi a morte inesperada mais chocante até hoje? Entre e deixe seu comentário!